Conecte com a gente

Olá, o que você está procurando?

Polícia

Caso Zaira: crime que chocou Rio Grande do Norte completa três anos

Foto: Reprodução/Redes Sociais

Era carnaval de 2019. A estudante universitária Zaira Cruz, 22 anos, tinha ido passar os dias de folia na cidade de Caicó, a 282 quilômetros de Natal, Região Seridó do Rio Grande do Norte (RN), onde a festa tradicional arrastava multidões. Familiares e amigos não imaginavam que aquele seria o último carnaval da vida dela. Zaira Dantas da Silveira Cruz, curraisnovense, foi encontrada sem vida dentro do carro do sargento da Polícia Militar, Pedro Inácio de Maria, 36 anos, no dia 2 de março, há exatos três anos. De acordo com investigação policial e denúncia do Ministério Público encaminhada à Justiça do Rio Grande do Norte, Zaira foi estuprada e brutalmente assassinada por estrangulamento. O sargento Pedro Inácio está preso desde o dia 15 de março de 2019, no Quartel da Polícia Militar, em Natal, acusado do crime.

Pedro Inácio Araújo de Maria está preso desde março de 2019 acusado de matar a estudante Zaira Cruz em Caicó. Foto: Reprodução/Redes Sociais

Em março de 2021, a primeira fase do processo foi concluída e o juiz Luiz Cândido de Andrade Villaça decidiu mandar a julgamento popular, o PM Pedro Inácio Araújo de Maria. Na mesma decisão, o juiz manteve o réu preso negando pedido de liberdade feito pela defesa.

A advogada auxiliar de acusação, Kalina Medeiros, que acompanha a promotoria desde o início do caso, explica que a defesa do réu entrou com recurso especial no Superior Tribunal de Justiça e recurso extraordinário no Supremo Tribunal Federal semana passada. “Aguardamos o julgamento desses dois recursos que ainda estão pendentes”, esclareceu a especialista.

Apelo da família e marcha silenciosa

Na tarde desta quarta-feira (2), a Marcha Mundial das Mulheres realizará ato silencioso marcado para às 17h30 na Praça Cristo Rei, Centro de Currais Novos, a 180 quilômetros de Natal (RN).

Anúncio. Rolar para continuar lendo.

Em vídeo publicado nas redes sociais da Marcha Mulheres Seridó, Ozanete Dantas, mãe de Zaira, pede justiça. “Estou aqui com tantas outras mães hoje faz tres anos que clamo e espero por justiça. Precisamos de uma resposta. Precisamos de um pouco de paz. A justiça é muito lenta”, destaca.

Zaira Cruz foi encontrada morta dentro de carro do PM Pedro Inácio, em estacionamento, no dia 2 de março de 2019.Foto: Reprodução/TV Ponta Negra

Memória do caso

2 de março de 2019 – A estudante universitária, natural de Currais Novos, Zaira Dantas da Silveira Cruz, 22 anos, é encontrada sem vida dentro do carro do sargento da PM, Pedro Inácio, no estacionamento do local onde o policial e um grupo de amigos tinham alugado uma casa para o carnaval, na cidade de Caicó.

15 de março de 2019 – Sargento da PM, Pedro inácio Araújo de Maria, 36 anos, é preso na cidade de Currais Novos, em casa, e conduzido para o Quartel da Polícia Militar, em Natal, como principal suspeito de matar a estudante Zaira.

15 de março de 2019 – Polícia Civil divulga laudo do Itep com causa da morte. Segundo a perícia, Zaira morreu após ter sofrido asfixia mecânica, através de estrangulamento, que teria sido praticado pelo suspeito, ressaltou o delegado regional da 3ªDRPC de Caicó, Ricardo Brito. O diretor do Instituto Técnico e Científico de Perícia (Itep-RN), Marcos Brandão, afirmou que a estudante foi vítima de uma morte cruel. “A estudante apresentava lesões no cérebro, nos olhos e pulmões. Além disso, dedos e lábios cianóticos (roxos). Essas características são bem contundentes para asfixia mecânica por estrangulamento, o que materializa o crime de homicídio”, esclareceu Brandão.

Anúncio. Rolar para continuar lendo.

Dezembro de 2020 – Advogados de defesa do réu, contrataram uma perícia particular pedindo a exumação do corpo da jovem, argumentando dúvidas sobre as provas obtidas durante a investigação do caso, que apontaram Pedro como autor do crime. Eles também entraram com um pedido de habeas corpus, para que o réu respondesse ao processo em liberdade. Ambos foram negados, também, pelo juiz Luiz Cândido de Andrade Villaça, da Comarca de Caicó.

4 de março de 2021 – O juiz Luiz Cândido de Andrade Villaça, da Comarca de Caicó, decidiu mandar a julgamento popular, o policial militar, Pedro Inácio Araújo de Maria. Na decisão, o juiz Luiz Cândido de Andrade Villaça também negou o pedido de liberdade feito pela defesa do réu.

Fevereiro de 2022 – Defesa ingressa com recursos especial e extraordinário, no STJ e STF, após ter recurso negado pelo Tribunal de Justiça do Rio Grande do Norte. Acusação e família de Zaira Cruz aguardam julgamento dos recursos para o seguimento do processo.

Anúncio. Rolar para continuar lendo.

Notícias relacionadas

Polícia

Policiais deram cumprimento a um mandado de prisão preventiva contra um homem, de 41 anos, na segunda-feira (3). Ele é suspeito de envolvimento em...

Cidades

Duas pessoas morreram em um acidente de trânsito na noite de sexta-feira (10), em Caicó, por volta das 20h30. O acidente ocorreu na RN-288...

Polícia

O primeiro suspeito de matar o personal Whadson Whonam Silva de Araújo, foi preso nesta quinta-feira (02). Em uma entrevista coletiva conduzida pelo delegado...

Cidades

O padre Fábio de Melo foi confirmado na programação gratuita da Festa de Sant´Ana em Caicó, Região Seridó do Rio Grande do Norte. O...

Publicidade

Copyright © 2022 TV Ponta Negra.
Desenvolvido por Pixel Project.

X
AO VIVO