Conecte com a gente

Olá, o que você está procurando?

Cidades

Proteção de tartarugas no RN é definida em nota técnica elaborada pelo Idema

Foto: Mariana Gondim/Assecom

Municípios litorâneos do Rio Grande do Norte deverão cumprir nota técnica para proteção de tartarugas. A Câmara Técnica do Conselho Gestor da Área de Proteção Ambiental Bonfim-Guaraíra concluiu e aprovou o documento para as cidades onde ocorre a desova de tartarugas. Com informações disponibilizadas pelo Projeto Tamar e outras instituições, o documento serve de orientação para visitantes e moradores do Rio Grande do Norte.

A nota tem o objetivo de auxiliar na tomada de decisões e propor medidas mitigadoras no ordenamento na circulação de veículos automotores nas praias durante o período reprodutivo das tartarugas marinhas. Na instrução técnica são apresentadas as espécies que ocorrem; as praias com maior concentração de ninhos dentro dos limites da APA Bonfim-Guaraíra e áreas adjacentes; legislação e recomendações que visem minimizar os impactos diretos e indiretos sobre o ambiente de beira de praia.

Para a gestora da APA, Liana Sena, o documento é importante para o estado, uma vez que as praias potiguares são locais propícios para a desova das tartarugas. Segundo dados do Projeto Tamar, cinco espécies de tartarugas marinhas frequentam nosso litoral.

“A questão da desova de tartarugas é um assunto importante não só no âmbito do Rio Grande do Norte, como em todo litoral brasileiro. Talvez muitos não saibam, mas as fêmeas das tartarugas marinhas saem do mar e sobem em terra firme para desovarem nas praias em que nasceram. Além disso, as tartarugas marinhas fazem parte de uma cadeia de relações ecológicas fundamental para o desenvolvimento e sobrevivência de todo o ecossistema que inclui as praias, as dunas e os oceanos.

Anúncio. Rolar para continuar lendo.

As tartarugas marinhas são capazes de se orientar, por meio do campo magnético da Terra, navegando milhares de quilômetros em mar aberto e retornando a sua praia natal na época reprodutiva para desovar. “O trânsito de veículos nas praias em áreas de desova prejudica muito o processo de reprodução das tartarugas marinhas e é uma das principais ameaças nesse processo, através da importância do monitoramento e, também, da sensibilização da população”, ressaltou Liana.

Juntamente com a Nota, foi elaborada uma cartilha com as principais informações do texto técnico, apresentado de uma maneira mais didática. O principal objetivo é divulgar um conteúdo que possa ser compartilhado pela rede de hotéis, pousadas e operadores de veículos.

Notícias relacionadas

Cidades

O Instituto de Desenvolvimento Sustentável e Meio Ambiente do Rio Grande Norte (Idema) finalizou na sexta-feira (12) a recolocação da cerca de proteção e...

Cidades

A ponte Francis Scott Key, localizada na cidade de Baltimore, em Maryland, nos Estados Unidos, desmoronou após ser atingida por um navio cargueiro na...

Polícia

Criminosos estão cortando as raízes da “Árvore do Amor”, localizada na Praia de Maxaranguape, para extrair uma substância viscosa responsável pela captura de aves...

Cidades

O Instituto de Desenvolvimento Sustentável e Meio Ambiente – Idema informa que, após o controle realizado pelo Corpo de Bombeiros do sinistro ocorrido ontem...

Publicidade

Copyright © 2022 TV Ponta Negra.
Desenvolvido por Pixel Project.

X
AO VIVO