Conecte com a gente

Olá, o que você está procurando?

Guerra em Israel

OMS acusa Israel de deter equipe médica que realiza missões urgentes em Gaza

A Organização Mundial da Saúde (OMS) divulgou, nesta terça-feira (12), um comunicado acusando o exército de Israel de deter equipes médicas que realizam missões urgentes na Faixa de Gaza. As ações, além de irem contra o Direito Internacional Humanitário, atrasam a transferência de pacientes em estado crítico, assim como a entrega de insumos médicos em unidades de saúde.

No texto, a OMS conta que, no dia 9 de dezembro, uma missão humanitária foi inspecionada por soldados israelenses no posto de controle de Wadi Gaza. As equipes tiveram que deixar o veículo para identificação e dois funcionários do Crescente Vermelho Palestino (PRCS) foram detidos por mais de uma hora. Um deles foi despido, revistado e espancado pelos militares.

Quando a missão entrou na Cidade de Gaza, o veículo, que transportava suprimentos médicos, foi atingido por balas. Já no caminho de volta para o sul de Gaza, com os pacientes do Hospital Al-Ahli a bordo, o comboio foi novamente parado no posto de controle de Wadi Gaza, onde a maioria dos pacientes tiveram que deixar as ambulâncias para verificações de segurança.

Um dos mesmos dois funcionários da RPCS detidos temporariamente no início do caminho foi levado para interrogatório pela segunda vez. Ele foi liberado horas depois, após esforços da OMS. O funcionário disse que foi ameaçado e espancado pelos militares e que, depois de libertado, foi deixado com as mãos amarradas atrás das costas e sem roupas.

Anúncio. Rolar para continuar lendo.

“Obstruir ambulâncias e ataques a profissionais humanitários e de saúde são inconcebíveis. Os cuidados de saúde, incluindo as ambulâncias, estão protegidos pelo direito internacional. A OMS e parceiros continuam firmemente empenhados em permanecer em Gaza e ajudar a população. Mas, à medida que as hostilidades aumentam em Gaza, a ajuda fica aquém das necessidades. O sistema de apoio humanitário está à beira de ruir”, disse a OMS.

Para assegurar o funcionamento do sistema de saúde em Gaza, a entidade defendeu, novamente, um cessar-fogo imediato na guerra entre Israel e o grupo Hamas. Isso garantiria a prestação de serviço humanitário sem obstáculos na região, permitindo a entrega de insumos médicos e combustível – essencial para abastecer os geradores de energia.

Notícias relacionadas

Tudo de Bom

Hoje, 4 de março, marca o Dia Mundial da Obesidade, uma data destinada a aumentar a conscientização sobre os desafios enfrentados por milhões de...

Saúde

Esta quinta-feira (29) marca o Dia Mundial das Doenças Raras, ou seja, aquelas com baixa incidência na população. Essa data foi escolhida por ser “rara”,...

Mundo

O embaixador da Palestina no Brasil, Ibrahim Mohamed Alzeben, defendeu nesta segunda-feira (19) o posicionamento do presidente Lula, que comparou os ataques israelenses na Faixa...

Mundo

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) fez uma comparação entre os ataques israelenses na Faixa de Gaza às ações de Hitler contra judeus...

Publicidade

Copyright © 2022 TV Ponta Negra.
Desenvolvido por Pixel Project.

X
AO VIVO