Conecte com a gente

Olá, o que você está procurando?

Educação

Professores da UFRN oficializam paralisação por tempo indeterminado

Foto: Divulgação/Adurn

Os professores da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) entram em greve por tempo indeterminado a partir da próxima segunda-feira (22). Nesta quarta-feira (17), o Conselho de Representantes do ADURN-Sindicato, se reuniu para dar os encaminhamentos necessários para a deflagração da greve. Um documento oficializando a greve da categoria por tempo indeterminado foi entregue ao reitor.

Para o reitor, José Daniel Diniz Melo, os servidores solicitaram apoio institucional no diálogo junto ao Governo Federal, visando à  valorização e reestruturação da carreira, bem como a recomposição orçamentária das instituições federais de ensino (Ifes).

“Esperamos que a greve seja potente e breve”, o professor Negrão desejou que as mobilizações possibilitem que as demandas sejam atendidas rapidamente pela gestão federal, para que as atividades também sejam retomadas com brevidade.

O reitor Daniel Diniz afirmou que a rede de universidade federais vem mantendo diálogo junto ao Governo Federal, por meio da Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior (Andifes). O gestor contou que, no dia 12 de abril, em audiência com a Presidência da República, as instituições de ensino reforçaram a necessidade urgente de recomposição do orçamento, de reestruturação da carreira dos servidores técnico-administrativos e docentes, bem como de investimentos na assistência estudantil.

Anúncio. Rolar para continuar lendo.

Além da recomposição do orçamento das Ifes, o Adurn-Sindicato tem como reivindicação o reajuste salarial linear para os servidores públicos federais de 7,06% em 2024, 7,06% em 2025, e 7,06% em 2026, totalizando 22,8%, e a reestruturação das carreiras do Magistério Superior e do Ensino Básico, Técnico e Tecnológico (EBTT).

Leia também:

Greve em universidades: governo espera chegar a acordo com professores na sexta-feira (19)

A decisão da grave é resultado de um plebiscito histórico, que contou com a participação de 1.820 dos 2.396 docentes aptos a votar. Realizada na segunda (15) e terça-feira (16), através do site do ADURN-Sindicato, a consulta registrou 62,52% dos votos favoráveis e 34,06% dos votos contrários à deflagração da greve. Se abstiveram na votação 3,40% dos participantes.

Anúncio. Rolar para continuar lendo.

Para o presidente do ADURN-Sindicato, Oswaldo Negrão, a participação da categoria representa a vitória da democracia, ele destacou também que “o ADURN-Sindicato encaminhou o indicativo, construiu o plebiscito e fez valer o voto de todos e todas as professoras e professores da ativa. Durante todo o processo de construção desse movimento, o ADURN-Sindicato privilegiou a escuta de sua base”, afirmou.

Notícias relacionadas

Educação

Os professores das universidades e dos institutos técnicos federais estão divididos sobre o fim da grave, que já dura mais de 40 dias. Na...

Educação

Seis estudantes do Colégio Nossa Senhora das Neves, em Natal, foram os vencedores do concurso International Space Explorers, promovido em parceria com a International...

Cidades

A Prefeitura de São Gonçalo do Amarante inaugurou a Escola Municipal Aida Gomes Bezerra, no loteamento Cidade Arvoredo, em Rio da Prata, na zona...

Educação

O Ministério da Educação abriu, nesta segunda-feira (27), as inscrições para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2024. O processo deve ser feito virtualmente, pela Página do Participante,...

Publicidade

Copyright © 2022 TV Ponta Negra.
Desenvolvido por Pixel Project.

X
AO VIVO