Conecte com a gente

Olá, o que você está procurando?

Patrulha da Cidade

Caso Fabiana: mãe de psicóloga assassinada volta ao apartamento da filha

Foto: Reprodução/YouTube TV Ponta Negra

Dalva Maia Veras, mãe da psicóloga Fabiana Maia, morta brutalmente em Assú (RN), em abril, voltou ao apartamento da filha em Natal e conversou com exclusividade com o repórter Rogério Fernandes nesta quinta-feira (16). A polícia conseguiu autorização para periciar o celular do suspeito do crime, João Batista, também conhecido como João “Bomba”. A família afirma esperar os próximos passos da investigação e aguarda justiça.

Leia também:
Psicóloga morta: laudo aponta 18 lesões entre “ação contundente e perfurocortante”

Fabiana atendia os pacientes e também residia em uma clínica na cidade de Assú, mas mantinha um apartamento na Zona Norte de Natal. Bastante emocionada, a mãe da psicóloga desabafou com Rogério Fernandes sobre a sensação de voltar ao local e não encontrar a filha. “Não está sendo fácil em lugar nenhum, mas principalmente aqui. Ela gostava muito de vir para cá. O tempo está passando e só está piorando, é muito difícil”, disse.

Dalva comentou ainda sobre o resultado do laudo divulgado nesta semana pelo Instituto Técnico-Científico de Perícia do Rio Grande do Norte (Itep/RN), que confirmou 18 lesões no corpo da psicóloga Fabiana. “Não precisava, com ninguém, menos ainda com ela. Eu quase morri quando vi isso”, afirmou.

Anúncio. Rolar para continuar lendo.

Segundo o laudo do Itep/RN, foram identificadas 18 lesões, “entre ação contundente (pode ter sido uma queda, soco…) e perfurocortante (com a faca). Os ferimentos foram encontrados na cabeça, pescoço e tronco devido a ações contundentes e perfurocortantes”, diz o resultado do exame, confirmando que, realmente, houve confronto físico entre Fabiana e João.

Leia também:
Psicóloga morta: pegada encontrada em local do crime é de sapato que estava com suspeito, confirma ITEP

Saudades

Para Dalva, não está sendo fácil conviver com a ausência da filha, ela comenta que acorda e pega o celular na intenção de telefonar para Fabiana. “Essa ficha vai demorar muito. Acho que nunca vai cair. Eu vou sempre achar que ela vai estar em algum lugar e que eu vou ligar e que ela vai me atender e dizer: mãe, eu chego já”, relata.

Anúncio. Rolar para continuar lendo.

Assista

Anúncio. Rolar para continuar lendo.

Notícias relacionadas

Patrulha da Cidade

Um vídeo postado nas redes sociais chamou a atenção de uma das famílias envolvidas no caso do rapto de crianças no bairro Planalto, na...

Patrulha da Cidade

“Arrancaram tudo que tinha direito de mim. Eu acredito que um bandido desse, um marginal desse, nem tem pai, nem tem mãe. Se eu...

Patrulha da Cidade

A comerciante Ana Queiroz teve sua residência destruída por um incêndio no bairro Cajupiranga, em Parnamirim. Segundo o Corpo de Bombeiros, um vazamento de...

Patrulha da Cidade

O apresentador @mariocesartv saiu do estúdio e foi até o bairro das Quintas, na Zona Oeste de Natal, para conhecer um fã do fundador...

Publicidade

Copyright © 2022 TV Ponta Negra.
Desenvolvido por Pixel Project.

X
AO VIVO