Conecte com a gente

Olá, o que você está procurando?

Saúde

Secretaria de Saúde do Estado alerta sobre casos de raiva humana

Senior woman wearing mask infected by coronavirus on hospital bed receiving medicine by drip. Close-up fingers of the senior patient ´s hand while she is sleeping. Horizontal photo
Atualmente no Brasil, os casos humanos confirmados para raiva no ano de 2022 somam 5, sendo 4 ocorrências em Minas Gerais e 1 ocorrência no Distrito Federal. Todos os casos de Minas Gerais tratam-se de crianças, entre 4 e 12 anos de idade, de uma comunidade indígena, da etnia Maxakali, com relatos de agressão e/ou contato com morcegos. Já o caso do Distrito Federal tratou-se de um jovem de 18 anos, com histórico de acidente com gato filhote doméstico. Dos 5 casos, 3 possuem sequenciamento genético AgV3, proveniente de morcego.
No Rio Grande do Norte, o último caso documentado de raiva humana foi datado em 2010, com ocorrência no município de Frutuoso Gomes, localizado no Oeste Potiguar, sendo o morcego o animal transmissor envolvido.
Quanto aos casos de raiva animal, até julho de 2022, 25 animais positivaram, dentre eles um cão, três bovinos, um equino, uma raposa e 19 morcegos. Os municípios envolvidos foram: Mossoró, Natal, Santo Antônio, Lajes Pintadas, Caicó, Jucurutu e Parnamirim. Dos 19 morcegos positivos, 15 foram do município de Natal, 2 do município de Santo Antônio, 1 do município de Caicó e 1 do município de Parnamirim.
Exposição ao Vírus e vacinação
Em situações de exposição ao vírus, ocorrida pela mordedura, lambedura de mucosas ou arranhadura provocada por animais potencialmente transmissores da raiva, o ferimento deve ser lavado com água corrente e sabão e o quanto antes procurar assistência em UPA para avaliação médica. Se necessário, o paciente será encaminhado para uma das unidades de referência do Estado. O profissional de saúde irá definir a profilaxia mais adequada para cada caso, que pode incluir a observação de cães e gatos domiciliados por 10 dias e/ou aplicação de vacinas e/ou de soro antirrábico.
A vacinação não tem contraindicação, devendo ser iniciada o mais breve possível. Deve-se garantir o completo esquema de vacinação preconizado para uma efetiva proteção. As vacinas humana e animal são gratuitas. A profilaxia humana contra a raiva deve ser iniciada, quando indicada, o mais precocemente possível.
Os imunobiológicos para prevenção da raiva são fornecidos pelo Ministério da Saúde e nos dois últimos meses os quantitativos enviados para os estados foram inferiores ao necessário, devido uma limitação na produção farmacêutica. Assim, alertamos para que a população evite situações de risco, especialmente envolvendo animais silvestres (saguis, raposas, morcegos, dentre outros) e cães e gatos desconhecidos (de rua), como fazer carinho, alimentar ou aproximar-se de animais com filhotes.
Unidades de Referência para profilaxia da raiva humana são
Natal: Hospital Giselda Trigueiro – HGT (adulto)
Natal: Hospital Maria Alice Fernandes- HMAF (infantil até 14 anos)
Mossoró: Hospital Regional Dr. Tarcísio Maia
Caicó: Hospital Regional do Seridó Telecila Freitas Fontes
Pau dos Ferros: Hospital Cleodon Carlos de Andrade
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Notícias relacionadas

Publicidade

Copyright © 2021 TV Ponta Negra.
Desenvolvido por Pixel Project.

X
AO VIVO